Notícias Antocianina dos blueberries: possível solução contra o Vermelho 40

Em diferentes países, a indústria do blueberry vem pesquisando sobre a genética das plantas, sua produtividade e o desenvolvimento integral do cultivo, mas uma das áreas que se tem feito mais esforços nos últimos tempos é a inovação e tecnologia para desenvolver produtos derivados do blueberry que tenham valor agregado.

Tem sido feito estudos nesta linha para aproveitar o descarte, o excedente da colheita, pois representam aproximadamente 5% da produção que não tem a mesma demanda nem valor comercial, e que em geral é perdido.

A demanda saudável no mundo dos alimento está cada dia mais informada e poderosa, exigindo tirar do mercado produtos nocivos ou duvidosos para a saúde humana, como no caso dos corantes e aditivos sintéticos.

Existe uma demanda importante de corantes naturais que podem substituir os corantes sintéticos, devido a sua comprovada toxidade em alimentos, cosméticos e produtos farmacêuticos. Um dos corantes mais combatidos é o Vermelho allura, também conhecido como Vermelho alimentício 7 ou Vermelho 40.

Se trata de um azo-composto e é utilizado como corante e aditivo na indústria alimentícia. Pode-se encontrar em doces ou confeitos, nas bebidas gasosas e sucos, em produtos de panificação e biscoitos, em lácteos, condimentos, sobremesas e gelatinas, em recheios e também na indústria farmacêutica e cosmética, entre outros produtos de consumo humano.

Ele foi introduzido nos EUA em meados dos anos 80 como substituto do amaranto, outro corante com características cancerígenas.

O Vermelho 40, por ser um corante azoico, tem sido submetido desde 2009 a revisão de doses mínimas e em vários países da Europa ele foi retirado como corante de alimentos infantis. A aplicação desde corante sintético pode ocasionar reações alérgicas nos consumidores e tem sido realizado experimentos toxicológicos em animais, comprovando que, ao ser usado em grandes doses, pode causar câncer.

Nos países em que foi proibido o uso em alimentos infantis, é devido a sintomas secundários do Vermelho 40, como hiperatividade nas crianças.

Antocianinas

As antocianinas são flavonoides, ou pigmentos vegetais, com grande potencial para substituir os corantes sintéticos de maneira competitiva, já que são responsáveis pela gama de cores que vão desde o vermelho até o azul de muitas frutas, vegetais e cereais. E elas são as responsáveis pela cor dos blueberries.

O desenvolvimento de tecnologia para extrair as antocianinas dos blueberries tem sido intensificado, não só devido as sua qualidades pictóricas ou corantes naturais, mas também por seus possíveis efeitos terapêuticos e benéficos para a saúde humana, dentre os quais se encontra a redução das doenças coronarianas, os efeitos anticancerígenos, antitumoral, anti-inflamatórios e antidiabéticos.

Estas propriedades bioativas das antocianinas abrem uma nova perspectiva para a obtenção de variados produtos coloridos com valor agregado para o consumo humano, pois poderia ser viável o desenvolvimento de alimentos frescos enriquecidos mediante a incorporação de extrato de antocianina procedente de blueberries, desenvolvendo tecnologia para impregnar estes alimentos a vácuo, como pesquisa Luz Marina Zapata, na Argentina (Tese de doutorado da Universidade Politécnica de Valencia: Obtenção de extrato de antocianinas a partir de blueberries para ser utilizado como antioxidante e corante na indústria alimentícia), desta maneira conseguir a utilização rentável dos excedentes de blueberry fresco e inovar o desenvolvimento de novos produtos com características funcionais e saudáveis.

Fonte: Blueberrieschile.cl


Categorias:

Diversos | Novidades | Saúde

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.