Notícias Blueberries em gráficos

Por Colin Fain, de Agronometrics

Um dos melhores exemplos da relação entre preços e volumes em produtos frescos se pode observar nos blueberries, como se demostra quase que perfeitamente no gráfico abaixo. Com os preços em outubro fechando no nível mais alto que vimos desde 2015, este artigo irá explorar que tipo de cenário podemos esperar do Chile nos próximos meses.

Preços e volumes de blueberries dos EUA

Vamos montar um pouco o cenário. O Chile está localizado num lugar estratégico, completamente na contra-temporada com a produção dos Estados Unidos. Até pouco tempo, estava praticamente sozinho no mercado durante os meses de inverno dos EUA, só competia com a Argentina em outubro e novembro, antes do envio da Flórida em maio. Foi só nos últimos cinco anos que temos visto uma concorrência significativa, com a introdução do Peru no começo da temporada e do México no final.

Volumes de blueberries nos EUA por origem

Levando em conta a relação entre o preço e o volume que vimos no primeiro gráfico, se pode argumentar que o fato do Peru e México terem ingressado nas janelas, tem ajudado os preços a ficarem mais estáveis. Um exemplo, é a redução dos picos massivos de preços como os experimentados durante a temporada 2013-14, que eram mais comuns.

Preços mensais históricos de blueberries por quilo desde o ponto de envio

Apesar de que todos os volumes que chegam no mercado terão um efeito nos preços, as tendências históricas vem sendo mantida na sua maior parte. A temporada do Chile geralmente começa em novembro, com a caída dos preços a medida que aumentam os volumes, alcançando aproximadamente a metade do seu valor inicial até o final da temporada em março, quando a qualidade diminui. Nos últimos cinco anos, entretanto, os preços no começo e no final da temporada tem se mantido estáveis, o que indica um aumento da demanda que possivelmente não existia antes. Onde outras origens vem complementando os envios do Chile, o mercado está experimentando uma caída nos preços, o que indica uma curva de demanda mais estabelecida, gerando concentrações inesperadas de volume.

Preços mensais históricos de blueberries por quilo desde o ponto de envio do Chile

Com os primeiros envios já chegando ao mercado dos Estados Unidos será muito interessante ver como se desenvolverá a temporada. Os primeiros preços que o USDA informa já são excepcionalmente altos; olhando para trás são, na verdade, os mais altos que já vimos desde 2010, onde começa nossa coleta de dados. Também há uma diferença notável entre os preços da fruta chilena e o que estamos vendo no Peru e México, que normalmente não é tão marcado. Nos últimos dois anos, a fruta do Chile tem sido mais cara do que a do Peru e México, mas nada próximo dos US$6 o quilo que foi visto na última semana. A melhor explicação para esta variação se dá tipicamente na qualidade da fruta.

Preços mensais históricos de blueberries por quilo desde o ponto de envio

Com o Comitê de Blueberries do Chile prevendo uma leve caída na produção em comparação com o ano passado, e os preços já altos, é esperado uma temporada de preços generosos para o Chile, pelos menos nas próximas semanas. A distribuição da produção tem muito a ver com isso. Até o momento, não vi muito consenso sobre os efeitos completos do granizo que ocorreu no país. Se os volumes de produção do Chile cair muito mais, é possível que tenhamos preços mais altos no futuro.

Fonte: Fresh Fruit Portal


Categorias:

Chile | Estados Unidos | Preço | Produção

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.