Notícias Blueberries podem prevenir o Alzheimer

Um estudo recente sugere que os blueberries, muito rico em vitamina C, podem reduzir o risco da doença Alzheimer.

Uma equipe de científicos da Universidade de Cincinnati, dirigido pelo Dr. Robert Krikorian explica que os antioxidantes saudáveis que existem nos blueberries proporcionam benefício real na melhora da memória e nas funções cognitivas em adultos. Com base em seu trabalho, eles acreditam que a adição de blueberries à dieta pode ajudar a prevenir a deficiência neurocognitiva.

A cor intensa dos blueberries se deve as antocianinas, um tipo de flavonóide que atua como antioxidante da fruta, segundo explica o USHBC.

De um modo geral, os antioxidantes ajudam a evitar os danos a nível celular associados a idade. Embora alguns cientistas acreditam que consumir alimentos ricos em antioxidantes ajuda a retardar o envelhecimento, nem todos os cientistas, como do Instituto Nacional de Saúde, apoiam por completo essa teoria.

Após ensaios clínicos preliminares que mostraram que os blueberries estimulavam o rendimento cognitivo, Krikorian e seus colegas conduziram dois novos estudos.

O primeiro era formado por 47 adultos com mais de 68 anos que começavam a mostrar os primeiros sinais de deterioração cognitiva leve, um fator de risco para o Alzheimer. Primeiro, os pesquisadores realizaram testes e exames cerebrais em cada participante. Em seguida, após formarem dois grupos, um grupo consumiu um pó placebo uma vez por semana durante 16 semanas, enquanto que o outro grupo recebeu pó de blueberry liofilizado (equivalente a 240 mL de blueberries).

Ao realizar os mesmos testes e comparar os grupos, Krikorian e seus colegas observaram uma melhora no rendimento cognitivo e nas funções cerebrais nos adultos que consumiram o pó de blueberry.

O segundo estudo continha 94 pessoas com idades entre 62 e 80 anos, todas com algum problema de memória. Os pesquisadores acreditavam que esses participantes estavam em melhor “forma” cognitiva que o primeiro grupo, embora nenhuma medida objetiva foi verificada. Para este estudo, os pesquisadores dividiram os participantes em quatro grupos. Cada grupo recebeu pó de blueberry, azeite de pescado, azeite de pescado com pó ou um placebo.

A repetição esperada do resultado do primeiro grupo não foi constatada. A cognição demostrou ser melhor nos que tomaram o pó de blueberry ou azeite de pescado separadamente, e embora a memória tenha melhorado, mas não tanto como no primeiro estudo, diz Krokorian. Mesmo os exames mostraram os mesmos resultados indiferentes. A equipe acredita que o comprometimento cognitivo menor dos participantes contribuiu para a fraqueza do efeito.

Os blueberries podem não mostrar benefícios quantificáveis para aqueles com problemas de memória menores ou ainda não desenvolveram problemas de memória, como sugerido pelos resultados combinados de ambos os estudos. Talvez, os blueberries tratam de forma eficaz somente os pacientes que já mostram sinais de deterioração mental.

Krikorian acrescentou ainda, que a mesma substância responsável pela cor poderia fornecer aos blueberries os benefícios para o cérebro; em estudos anteriores com animais, os cientistas demonstraram que as antocianinas melhoraram a cognição.

Fonte: freshplaza.es


Categorias:

Curiosidades | Saúde

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.