Notícias Chile: fim da temporada com recorde de exportação

Ao contrário do que a indústria de blueberry experimentou na última temporada, nesta safra de 2017-2018 foi exportado um volume recorde de 110 mil toneladas; embora o efeito de um dólar mais baixo e flutuante tenha que ser avaliado.

Andrés Armstrong, diretor executivo do Comitê de Blueberries do Chile – Asoex, disse que esta campanha registra um aumento em 6% nos volumes e envios semanais dentro do que pode ser considerado “normal”, então, ao fazer comparações com esta temporada estão definitivamente terminando com melhores resultados do que o exercício anterior.

“O principal problema na última temporada foi que a colheita começou 4 semanas mais cedo e os mercados não estavam prontos para receber volumes altos da nosso fruta tão cedo. Felizmente isso não aconteceu nessa temporada. A campanha foi desenvolvida dentro dos parâmetros normais, e de forma mais ordenada, apesar do aumento da produção não apenas no Chile, mas também no Peru e no México”, disse o representante da Comissão.

“Como esta temporada foi mais balanceada, a fruta foi melhor distribuída nos EUA. Não houve acumulo de estoque da fruta e os blueberries chegaram aos supermercados na hora certa. Além disso, pudemos conduzir ações promocionais para vender melhor a fruta nessa temporada. E os formatos e os preços foram mais estáveis, o que gerou um impacto positivo na demanda. Além disso, a fruta teve melhor qualidade e sabor, pois o setor está trabalhando duro para melhorar essas características através de melhores gerenciamentos, substituição de variedades e uso de melhores tecnologias”, disse Armstrong.

Ronald Bown, Presidente da Asoex declarou: “A indústria de frutas frescas do Chile está crescendo graças ao trabalho dos produtores, exportadores, e também com o apoio do setor público. Se trata de um setor que se preocupa em cumprir com os mais elevados padrões de segurança, inovar em tecnologias, melhorar os processos de produção, embalagem e logística, para que as frutas cheguem nas melhores condições nos diferentes mercados de destino. E isso é o que está sendo consolidado hoje, através deste novo recorde histórico nos envios de blueberries. Somos o principal exportador de blueberry do mundo, e esse tipo de resultado nos permite continuar consolidando essa posição”.

Mercados: Europa é o que mais cresce

O mercado da América do Norte (Estados Unidos e Canadá) segue sendo onde o mercado mais importante para o blueberry chileno, com uma participação total de 64%, seguido pela Europa com 24%, Ásia com 12%, América Latina 0,2% e Oriente Médio com 0,1%.

A Europa é o mercado com maior crescimento nesta temporada com 12%, seguido pela Ásia com 5% e América do Norte com 4%, explicou o representante do Comitê, acrescentando que esse maior crescimento no Velho Continente reflete o aumento do consumo nos países que são relativamente novos para o consumo de blueberries como a França, Itália ou Rússia.

Em termos de volumes, o mercado norte-americano recebeu 70.461 toneladas de blueberries, a Europa recebeu 25.967 toneladas; Ásia 13.150 toneladas; América Latina 190 toneladas e Oriente Médio 124 toneladas.

Orgânicos

Em relação às exportações de blueberries orgânicos, esta foi a primeira vez que o Comitê registrou estatísticas de exportação em seu relatório da safra, o que irá permitir que o setor tenha uma melhor entendimento da situação da categoria, e saber a disponibilidade da fruta nos mercados internacionais. “Nesta temporada foram exportadas 10 mil toneladas de blueberries frescos orgânicos, o que representa 9,1% do total de blueberries exportados”, concluiu o diretor executivo.

Fonte: Fresh Plaza


Categoria:

Internacional

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.