Notícias Chile: produtores migraram para os orgânicos

Os produtores de blueberry no norte do Chile estão se expandindo para os produtos orgânicos à medida que a concorrência com o Peru aumenta e a produção do país começa a se alimentar com a janela de fornecimento.

As remessas da fruta do Peru subiram 77% para 47.550 toneladas na temporada de 2017/18, uma vez que as plantações continuam a se expandir – um desenvolvimento que Andrés Armstrong, do Comitê de Blueberry Chileno, disse ser um desafio.

No norte do Chile, onde a produção de blueberry entra em conflito com a produção peruana no início da temporada de outubro a dezembro, alguns produtores estão começando a se migrar para os orgânicos, revelou o diretor executivo do comitê.

“Temos a oportunidade de nos manter no mercado com os produtos orgânicos”, disse Armstrong, “enquanto no Peru os orgânicos são mais difíceis de cultivar”.

Ele ressaltou, no entanto, que, ao invés de competir com o Peru e outros produtores globais por uma janela de fornecimento limitada, o principal objetivo do comitê foi aumentar o consumo de blueberry em seus diversos mercados. Isso se aplica tanto às exportações convencionais quanto às orgânicas, com as últimas representando agora 9,1% do total de embarques de blueberry do Chile.

Felizmente para a indústria de blueberry do Chile, não há muita sobreposição entre a oferta peruana (de meados de setembro a meados de novembro) e a temporada do Chile, que vai de novembro a abril.

Comparado aos maiores produtores Chile e Argentina, o Peru é capaz de produzir blueberries por um período mais longo, mas por enquanto a maior parte da produção de novas fontes como Peru, México e Marrocos vem nas semanas de baixa oferta entre o final da temporada do Hemisfério Norte e o início da campanha chilena, explicou Armstrong.

Além disso, a própria produção de blueberry do Chile continua a crescer, com o país exportando volumes recordes nesta temporada. A campanha de 2017/18 fechou com um total de remessas de mais de 110.000 t – um aumento de seis por cento comparado com a última temporada.

A preocupação óbvia é que o aumento da produção pode reduzir os preços, mas grandes volumes do Chile, Peru, México e outros grandes exportadores ao longo do ano estão ajudando a manter os preços estáveis, disse Armstrong.

“Quando o Chile saiu com mais volume, já havia frutas do Peru nos supermercados”, explicou. “O espaço nas prateleiras estava lá, então quando a fruta chegou, foi colocada. Não havia grandes estoques esperando e a fruta estava a caminho, então o preço não caiu muito. ”

Perguntado se o Comitê de Blueberry Chileno consideraria unir forças com o Peru para promover blueberries juntos no futuro, Armstrong disse que pode depender de quanto seu vizinho sul-americano está disposto a investir em uma campanha conjunta, mas Charif Christian Carvajal, diretor de marketing da Asoex, disse que sua organização sempre tem suas “portas abertas” para promover blueberries ou outras frutas com origens diferentes.

Fonte: Fruitnet


Categoria:

Internacional

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.