Notícias EUA: novas variedades podem prolongar a temporada

Como muitos produtores de blueberries, Jeff e Terri Weijohn, da Blueberry Hill Berries, tem a maior parte da sua área cultivada com a variedade Duke, o “burro de carga” da indústria, que tem visto um crescimento sem precedentes nos últimos 25 anos.

Mas também como a maioria dos produtores de blueberries, eles estão tentando novas variedades que amadureçam mais tarde e assim, atrair os clientes, já que os preços começam a estabilizar.

Os Weijohn vão fazer vários testes com as variedades recém-chegadas, como a Last Call, Calypso e Clockwork, em sua fazenda Wapato, WA.

“Queremos fornecer berries durante toda a temporada”, disse Terri Weijohn.

A diversificação de variedades e de preços são dores que toda indústria madura passa, mesmo nas chamadas “super frutas”, como a dos blueberries. Todo mundo sabe que as maçãs passaram por esses mesmos problemas 30 anos atrás.

Mas os blueberries não seguem as mesmas regras.

Primeiro porque a maioria dos consumidores não se importam com o tipo da variedade. Com exceção de alguns mercados diretos como as fazendas U-pick ou as fazendas urbanas, os consumidores querem simplesmente as berries típicas. Os varejistas geralmente sabem a diferença, mas rotulam poucas variedades em suas lojas. Assim, os produtores escolhem variedades que podem oferecer melhor produto para as lojas ou que possam estender a temporada.

A variedade Duke tipicamente amadurece em junho e julho, considerada a temporada precoce, enquanto que as variedades mais novas podem estender a colheita até agosto ou até mais longe.

Em segundo lugar, embora os blueberries foram cultivados primeiramente em Nova Jersey em 1916, eles crescem em todo e qualquer lugar agora, do norte, com climas gelados até nos trópicos.

Washington é o produtor líder do país, mas Geórgia e Florida sempre estão na lista dos Top 10 também.

Os Estados Unidos produzem 55% dos blueberries do mundo, mas o market share está se igualando com o crescimento na Europa, América do Sul e Ásia, afirma David Brazelton, presidente da Fall Creek Nursery, fornecedor de plantas global para a indústria de berry.

“Os blueberries se tornaram um cultivo global” disse Brazelton

Variedade Duke (Foto: Ross Courtney/Good Fruit Grower)

Variedade Duke (Foto: Ross Courtney/Good Fruit Grower)

Todas esse mudanças da indústria fazem com que os produtores busquem por novos nichos e variedades.

Em Michigan, onde variedades robustas como a Jersey, Blue Crop e Elliot vem pagado as contas desde meados do século 20, os produtores estão se mostrando a favor das novas variedade da Universidade de Michigan, como a Liberty e Aurora, disse Mark Lingstroth.

Produtores de Washington também tem buscado novidades.

“Como produtor, posso ver a tendência para as novas variedades”, disse Julie Michener, da Bill’s Berry Farm.

Os Michener plantaram cerca de oito acres de blueberries em 2008, sendo sete com a Duke, variedade precoce conhecida por dar fruto grande, consistente e firme.

Eles tiveram que esperar cerca de 18 meses para as novas plantas. Hoje, o catálogo de mudas contém duas vezes mais variedades. Eles também notaram o declínio nos preços.

Os Michener estão considerando tirar as variedades antigas de cerejas para terem mais espaço para plantarem blueberries, e estão em busca de novas variedades tardias, tanto para o operação U-pick quanto para a produção de atacado para os Weijohns, que produzem os Twin River Produce.

“O que precisamos discutir também é o gosto”, disse Michael Roy, da Roy Farms.

Roy Farms tem testado uma variedade chamada Valor, entre muitas outras para diferenciar os seus 1500 acres, que conta predominantemente com Duke e Draper.

A empresa cultiva para mercado de congelados, assim escolhem variedades que possam se colhidas mecanicamente, com frutas firmes e que amadurecem mais igualmente.

Preencher a demanda do mercado não é mais suficiente para a indústria madura de blueberry, seja congelado ou fresco, ele disse.

O mercado de smoothie, por exemplo, começou a solicitar um sabor mais ácido. E o ditado de que os consumidores não se importam com a variedade?

Isso pode mudar. Pode chegar o dia em que os compradores vão procurar por variedades específicas nos supermercados, assim como acontece com as maçãs.

“Os blueberries vão chegar nesse ponto”, ele disse.

As novas variedades nos EUA

Noroeste: Top Shelf, Last Call

Califórnia: Meadowlark, Suzi Blue

Michigan: Calypso, Liberty, Aurora, Draper, Sensation, Keepsake

Geórgia e Flórida: Meadowlark, Farthing, Suzi Blue, Rebel

Nordeste: Last Call, Top Shelf

Fontes: David Brazelton, Fall Creek Nursery; Mark Longstroth, Michigan State University Extension

Variedade Last Call (Foto: Fall Creek Farm & Nursery, Inc.)

Variedade Last Call (Foto: Fall Creek Farm & Nursery, Inc.)

Variedade Top Shelf (Foto: TJ Mullinax/Good Fruit Grower)

Variedade Top Shelf (Foto: TJ Mullinax/Good Fruit Grower)

Produção de Blueberry por Estado (2015)

Washington: 47 milhões kg

Óregon: 44 milhões kg

Geórgia: 38 milhões kg

Michigan: 33 milhões kg

Califórnia: 28 milhões kg

Carolina do Norte: 22.5 milhões kg

Nova Jersey: 22 milhões kg

Flórida: 11 milhões kg

Mississippi: 2.6 milhões kg

Nova York: 0.8 milhões kg

Indiana: 0.72 milhões kg

Arkansas: 0.23 milhões kg

Alabama: 0.22 milhões kg

Fonte: Departamento de Agricultura dos EUA

Fonte: Ross Courtney – Good Fruit


Categoria:

Internacional

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.