Notícias Frutas vermelhas levam cor e sabor à região de Pedra Azul

Em meio a belezas naturais que cercam as Montanhas capixabas, frutas ricas em sabores e cores conquistaram os produtores de Pedra Azul, em Domingos Martins. De origem europeia, as chamadas frutas vermelhas encontram no clima mais ameno da região as condições ideais para se desenvolverem com fartura.

Essa região já é reconhecida pela forte tradição no plantio de morango. Mas com as amoras, a framboesa e o blueberry, os agricultores querem expandir o leque de frutas cultivadas e ofertadas aos compradores.

O produtor Rainor Uliana, 73 anos, já produz amora preta há 30 anos. A família viu no cultivo dessa fruta de cor forte e sabor um pouco ácido uma possibilidade de diversificar a oferta da lojinha que tem no sítio.

“As mudas vieram do Rio Grande do Sul. Eu vi pela televisão que eles estavam colhendo e exportando. Então eu falei com o pessoal do Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural) e eles trouxeram pra mim, eu fui o pioneiro na região”, lembra Uliana.

São cerca de 700 pés da fruta plantados em uma área de aproximadamente 700 metros quadrados. A produção média por ano varia entre 3 mil a 3,5 mil quilos da fruta e o quilo da amora congelada é vendido por R$ 12. Além da venda dela in natura, Rainor e a família também produzem vinho suave, cachaça, licor e geleia.

VARIEDADE

Segundo o engenheiro agrônomo e técnico do Incaper Wesley Zambom da Silva, os produtores têm procurado diversificar a produção plantando diferentes tipos de frutas vermelhas, já que elas têm um valor agregado muito grande.

Um exemplo de quem viu na diversidade das frutas vermelhas uma boa oportunidade de negócio foi o produtor Antônio Geraldo Sunderhus, 58 anos. Na propriedade são aproximadamente 450 pés de amora negra em três variedades (tupi, guarani e xingu). Mas a vontade de descobrir novos sabores fez com que ele plantasse, há quase dois anos, 300 pés da framboesa vermelha e em setembro deste ano investisse em mais 200 pés da framboesa negra.

“Por ser uma fruta exótica, doce e ter pouquíssimos produtores no Estado, me interessei no cultivo dela. Diferente da amora que produz até 20 toneladas por hectare, a framboesa produz 5 toneladas por hectare. Ela requer cuidado e tem um investimento maior. Me interessei nela por ser diferente”, conta.

O produtor vende as frutas produzidas no sítio em pacotes de um quilo, já separadas em dez embalagens de 100 gramas. Elas são vendidas congeladas a restaurantes e em entregas individuais.

“Eu faço um mix de frutas para entregar. Tem pacotes de R$ 12 só com morangos, de R$ 20 de amora pura ou com morango e de R$ 30, que tem mais frutas vermelhas misturadas. Já a framboesa sozinha varia de R$ 45 a R$ 60 o quilo”, explica.

Sunderhus também que apostar no cultivo do blueberry, também conhecido como mirtilo, na propriedade. “Quero ter mais tipos de frutas vermelhas aqui na propriedade.”

APOSTA

Há também quem esteja começando uma nova cultura. São pouco mais de 40 pés de mirtilo, em uma área de quase 800 metros, plantados no sítio do Marcelo Jacomo Delfino de 42 anos. “Eu nem conhecia a fruta, mas teve uma produtora, que mora perto daqui de casa que me apresentou e decidi, no início do ano, plantar alguns pés”, conta.

Segundo ele, a primeira etapa é de testar o cultivo. “Devido ao clima frio de Pedra Azul, a chance de a cultura se adaptar é muito grande. Se der certo, podemos expandir a plantação”, diz.

Fonte: Gazeta Online


Categorias:

Nacional | Produção

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.