Notícias Inovação: Tecnologia de secagem solar e sustentável para desidratar

Quando um chileno e um suíço se juntam dão lugar a uma inovadora criação sustentável e de baixo custo, diferente dos tradicionais campos de secagem que é usado para secar frutas, como as ameixas. Em 2011, nasce a empresa CK2, dos empresários Cristián Valdés e Sébastien Jacot-Descombes.

“Os túneis solares foram desenhados para as ameixas, mas este ano fizemos um teste experimental com cerejas, blueberries, pêssego e uva”, indicou Valdés.

Se trata de uma correia transportadora de 55 metros de comprimento por 4 metros de largura, que fica sob uma espécie de estufa de 1,20 metros de altura, usando ventiladores.

Para os blueberries, leva dois dias para secar, e um pouco mais para outras frutas, como as cerejas e pêssegos (3 dias), ameixa (3 a 5 dias) e uva passa (5 a 6 dias).

“Tem um design simples que permite secar a baixo custo e de maneira escalável a nível industrial. É um túnel que pode ser armado e desarmado, assim você pode trocar de lugar”, explicou.

Um dos benefícios desta tecnologia é que seca em condições controladas, assim os produtores não correm o risco de perda em caso de chuva.

“Há uma série de riscos que o sistema reduz a zero”, disse, destacando que campos abertos expõe a fruta a contaminações como poeira ou animais.

“Segurança e qualidade é o mesmo para a fruta que sai do forno de combustão, mas o benefício é que usamos energia sustentável a baixo custo”, agregou.

Esta tecnologia está em processo de patente na Suíça, e é único no Chile e no mundo. Eles também querem estender a patente para Austrália e África do Sul.

Valdés explicou que o sistema de secagem está destinado aos pequenos produtores, e podem encontrar o produto disponível no Chile pelo preço referencial de U$9.000,00.

Fonte: Portal Frutícola


Categorias:

Curiosidades | Diversos | Novidades

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.