Notícias Os benefícios do blueberry na epigenética

Apesar do pequeno tamanho, os blueberries são mais poderosos do que você pode imaginar. Conhecido por seu alto conteúdo de nutrientes – incluindo fibra, vitaminas C e K e manganês – essas pequenas frutas azuis são capazes de ajustar as características químicas do DNA e influenciar nossa saúde. Os blueberries, além do alto teor de antioxidantes, podem epigeneticamente reduzir os danos no DNA, enquanto protege contra o envelhecimento e câncer.

Exemplos da epigenética em alimentos incluem a habilidade do chá verde em influenciar a metilação do DNA e reduzir a susceptibilidade ao câncer, assim como a habilidade do sulforafano do brócolis em diminuir o crescimento do câncer via modificação das histonas. Outros exemplos epigenéticos sugerem que a metilação do DNA pode evitar a compulsão alimentar no início da vida, e comer arroz integral pode epigeneticamente reduzir o desejo incontrolável por alimentos.

E as pesquisas continuam na descoberta dos efeitos que a dieta influencia no nosso epigenoma. Novas pesquisas publicadas no Journal of Cancer Prevention sugerem que os blueberries podem melhorar a saúde via modulação antioxidativa e epigenética.

Os danos no DNA é uma das principais razões do porquê envelhecemos e do porquê desenvolvemos certas doenças como o câncer. Uma quebra no DNA é considerado um dano no DNA, assim como uma base alterada quimicamente (como o 8-OHdG (8-hidroxi-2-desoxiguanosina), um marcador do stress oxidativo e carcinogênese). Muitos estudos tem mostrado que a medida do 8-OHdG pode ser uma maneira útil para acessar o risco de vários câncer ou doenças degenerativas.

Em um estudo conduzido pela Universidade Sookmyung Women na Coreia e pela Universidade da Saúde Ocupacional no Japão, os pesquisadores analisaram a urina e o sangue de mulheres que consumiram vitamina C ou suco de blueberry por 2 semanas. O time mediu os níveis de 8-OHdG, malondialdeído (MDA) e a metilação do DNA para avaliar o mecanismo envolvido nos efeitos oxidativos do blueberry.

Eles descobriram que os níveis urinários de MDA foram reduzidos em todas as pessoas. Entretanto, os níveis urinários de 8-OHdG foram reduzidos como resultado do consumo de suco de blueberry do que de vitamina C. Além disso, a metilação do DNA do gene MTHFR também foi reduzido naqueles que beberam o suco de blueberry.

“O suco de blueberry mostra atividades similares anti-oxidativa ou anti-premutagênico à vitamina C”, reportou os pesquisadores. “Também encontramos correlação positiva entre as mudanças da metilação urinária do 8-OHdG e do DNA no MTHFR ou DNMT1”.

A redução do MTHFR mostrou aumentar o risco de câncer. Também está envolvido no metabolismo do folato, um modificador epigenético bastante conhecido. Esse estudo sugere que o potencial mecanismo anticâncer do blueberry ou vitamina C está associado com a inibição de promover a metilação no MTHFR. De acordo com esses dados, os antioxidantes podem exercer seu efeito biológico através da modulação epigenética da metilação do DNA.

É fascinante pensar sobre o poder epigenético que essa pequena fruta pode fazer na nossa saúde.

Em luz desses resultados, os antioxidantes e frutas como os blueberries podem ter impacto mais significante no nosso bem estar do que jamais pensamos.

Fonte: What is epigenetics


Categorias:

Estudo | Saúde

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.