Notícias Overview do Mercado Global de Blueberry

O mercado do blueberry continua crescendo, não somente na Europa, mas também na América do Norte e na China. Este último está despertando muita atenção entre os países latino americanos, já que estão de olho neste gigante asiático para aumentarem suas exportações. Os países da Europa Oriental estão investindo neste cultivo, pois veem muito potencial. Os preços estão subindo em Israel, mas isso não desestimula o consumidor em comprar a fruta. Na Espanha, os produtores estão preocupados, pois embora as primeiras berries em Huelva já estão sendo colhidas, as condições de mercado são esperadas que fiquem complicadas em Abril. Assim como no ano passado, um excedente é esperado, o que vai puxar os preços para baixo.

Estados Unidos: a demanda continua a aumentar

A demanda por blueberries é alta, enquanto que o fornecimento ainda está baixo. Pode-se descrever o fornecimento vindo da América do Sul como “um pouco apertado”, mas está aumentando. Um importador explica que eles estão muito satisfeitos com a qualidade das berries sul americanas este ano. O volume vem aumentando a cada ano, e esse ano não é exceção, e a demanda está melhor do que nunca. “Os blueberries são commodities nas prateleiras, assim como as bananas e outros produtos”, disse um trader. Atualmente, os preços estão estáveis num nível alto, apesar que alguns varejistas estão fazendo promoções.

Chile: bom mercado para os blueberries

Na primeira semana do ano, o Chile exportou 8.032 toneladas de blueberries, sendo que 406 foram orgânicos. Esse volume superou as 6.200 toneladas previamente estimado. Isso “confirma a idoneidade das condições meteorológicas nas principais regiões produtoras para o desenvolvimento da fruta”, informa a associação setorial. A chuva nas regiões do sul interrompeu a colheita mas, segundo foi informado, houve pouco efeito nas exportações. A quota das regiões produtoras do sul vai aumentar a partir de janeiro, quando a colheita estiver em pleno auge. Os principais destinos de exportação são a América do Norte (58%), Europa (17%) e Extremo Oriente.

A temporada começou com um certo atraso, o que deu às berries chilenas um bom início no mercado. Devido as temperaturas mais frias, a coloração da fruta não foi como o esperado e a colheita começou no final de novembro, ao invés do começo do mês. Houve também algumas dificuldade na exportação aérea da fruta.

Argentina: comprometida com o crescimento

O mercado doméstico de blueberries tem crescido consideravelmente. A temporada começa em Junho e vai até Janeiro. A demanda do mercado doméstico aumentou em 250%. Este crescimento de deve, em partes, com a melhor familiaridade do consumidor com o produto, já que diversas campanhas promocionais foram organizadas nos últimos anos.

A área de produção varia entre 1900 a 2100 hectares, com produção principalmente no norte (Tucumán e Salta), na costa (Corrientes e Entre Ríos) e na região de Buenos Aires. O cultivo orgânico também está aumentando. O país tem cerca de 600 hectares voltados para a produção orgânica e há mais áreas sendo convertidas. Desta maneira, a Argentina quer se diferenciar dos outros países vizinhos. Em outubro do ano passado, vários produtores reportaram danos devido à granizos. Falou-se em perdas de cerca de 6% da produção.

Apesar do mercado domestico em crescimento, a maioria da produção é exportada. Os EUA são o mercado mais importante, levando 65% das exportações. O Reino Unido também é um mercado grande e os traders estão de olho na Ásia. No começo deste ano, as fronteiras chinesas foram abertas para os blueberries argentinos, entre outros produtos. Outros mercados de exportação incluem a Rússia e Israel. O volume exportado nesta temporada conta com cerca de 18 milhões de kg, comparável com a temporada passada. Nos últimos anos, os exportadores vem optando pelo frete marítimo, e nesta temporada este volume aumentou em 20% comparado com 2016 e em 40% comparado com 2015. O volume para os mercado de exportação tem crescido para todos os destinos. E não é surpresa que o volume por via aérea foi reduzido.

Peru: as exportações aumentando

No nível governamental, o trabalho está sendo focando em melhorar o acesso ao mercado dos EUA. Uma visita de uma delegação dos EUA à região da Ica deverá contribuir para isso. As exportações no ano passado foram 57% maior do que a temporada anterior, com 41.329 toneladas enviadas em 2017 comparada com as 26.327 toneladas de 2016. Ano passado, as exportações aos Estados Unidos também cresceram. Em termos de valores, as exportações cresceram pouco mais de 46%, atingindo 350 milhões de dólares. Isso indica que os EUA também foram o mercado de exportação mais importante, embora o market share tenha caído de 56% em 2016 para 44% ano passado. O Reino Unido (11%) e a China (10%) ficaram em segundo e terceiro lugares. A China é esperada que mova para o segundo lugar no ranking nos próximos anos.

As exportações são esperadas que aumentem em 12% nos próximos 4 anos devido ao crescimento da demanda nos principais mercados. Além disso, investimentos estão sendo feitos para melhorar e aumentar as áreas de cultivo.

Uruguai: granizo prejudicou a colheita

O granizo em outubro do ano passado causou danos aos produtores na região de Salto. Os danos mais severos foram registrados em duas plantações de blueberries que foi quase que completamente destruída. “Nesta época do ano, há áreas cheias de pessoas que vem das cidades para colher os blueberries, então foi uma catástrofe”, disse um produtor logo depois das tormentas de granizo em outubro.

México: exportando para a China

Os primeiros blueberries mexicanos chegaram à China. O objetivo é ter essas berries nas prateleiras chinesas em 48 horas após a colheita.

 

Para ler mais sobre os outros países, clique aqui.

Fonte: Fresh Plaza


Categorias:

Internacional | Produção

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.