Notícias Resumo do Mercado Global de blueberries

Os blueberries continuam sendo um produto popular.

Na América Latina continua havendo grandes investimentos no cultivo dessas berries. O Chile é o líder de mercado nessa época do ano, mas o Peru tem a ambição de se converter no maior exportador do mundo nos próximos anos. Outros países também veem oportunidades na exportação do produto. A América do Norte continua sendo um destino de destaque para a fruta, mas as exportações para a Europa e Ásia também estão aumentando.

Chile: as exportações chilenas se mantém dentro dos níveis estimados

Segundo o último informe do Comitê de Blueberries do Chile, as exportações voltaram a se recuperar na semana 52, alcançando 9.870 toneladas, a maioria do centro do Chile. O volume total da temporada está em 45.556 toneladas, coincidindo com as previsões iniciais. Em comparação com a temporada anterior, a colheita cresceu 1.6%. Segundo o Comitê, as greves portuárias não provocaram nenhum problema na exportação dessas berries, pois os exportadores usaram outros portos. Os incêndios florestais declarados há pouco tempo também não tiveram consequências para a colheita, já que na zona onde houve os incêndios, a colheita já havia terminado. Há poucas semanas, muitas plantações foram atingidas por granizo, mas não houve impacto negativo de forma geral.

Um produtor explica que as variedades antigas estão sendo trocadas pelas novas.

As 9.870 toneladas exportadas foram divididas entre América do Norte (49%), Europa (36%) e Extremo Oriente (15%).

Segundo o informe, o volume de blueberries orgânicos está aumentando. Na semana 52, 636 toneladas da berry orgânica foram exportadas. No total, somam 3.595 toneladas exportadas, ou 39% mais que na mesma semana da temporada passada. Embora a América do Norte permanece sendo o mercado mais importante, a Europa começa a se destacar. Comparado com a temporada passada, os volumes dobraram.

O maior competidor para as exportações chilenas é o Peru. Nesse momento, as temporadas se complementam bem. “O Peru para quando o Chile começa. A Argentina e a Colômbia tem volumes menores e não trazem ameaça”.

Argentina: começa exportações à China

Em novembro foram enviados os primeiros quilos de blueberries por via aérea para a China. Uma conquista que o setor se orgulha.

Ano passado, os Estados Unidos, Reino Unido e Europa foram os principais destinos. Graças aos esforços do Governo argentino e do setor privado, a China foi incluída na lista. A temporada não durou muito, mas os comerciantes esperam incrementar as exportações ao país asiático com o inicio da nova temporada em agosto.

Peru: quer se converter no maior exportador

A temporada peruana irá finalizar quando o Chile entrar no mercado. As exportações cresceram numa grande velocidade nos últimos cinco anos. Segundo os dados do Sistema de Inteligência Comercial ADEX Data Trade, as exportações entre janeiro e outubro do ano passado se multiplicaram por 23 em comparação com os mesmos meses de 2014. Em 2014, as exportações alcançaram um valor de 16.7 milhões de dólares. No mesmo período, as exportações aumentaram 54% em relação ao ano anterior até chegar em 247.4 milhões de dólares. E está previsto que esse crescimento continue. “Esperamos que o Peru se converta em 2021 como o principal exportador de blueberries, superando o Chile”, afirma um exportador. Segundo o ministro peruano, o Peru ocupa atualmente a segunda posição na classificação mundial.

Entre janeiro e outubro, os Estados Unidos foram o mercado de exportação mais importante, com 195 milhões de dólares, seguido pelo Países Baixos (84 milhões), Reino Unido (35 milhões), China (24 milhões), Espanha (16 milhões) e Canadá (10 milhões). Para seguir crescendo, o setor deve focar no mercado asiático. As negociações para conseguir um tratado de livre comércio com a Índia é percebido como um passo positivo.

México: compromisso em estender a temporada

A temporada começou em outubro e irá durar até maio. As perspectivas são boas, apesar do atraso no inicio. Um comerciante afirma que em Jalisco e Michoacán são esperados uma colheita normal.

Como os Estados Unidos, o Canadá também é um mercado de exportação importante. Também são exportados a Europa e Ásia. Um comerciante comenta que as novas plantações estão entrando em produção, e o volume vai aumentar. O foco está concentrado nas variedades precoces e tardias para estender a temporada. Os exportadores estão conscientes de que a produção de outros países está crescendo, e como resultado, está cada vez mais difícil competir no mercado mundial.

Colômbia: quer seu lugar no mercado mundial

Ano passado, um grupo de empresários decidiu que era o momento de começar a exportar blueberries. Até então só tinham trabalhado no mercado nacional. Segundo os impulsores da iniciativa, o desenvolvimento do cultivo da fruta é suficiente para começar a exportar. Três grandes empresas uniram forças e estão expondo em grandes feiras. Com as reações positivas que tiveram, as empresas esperam exportar mais blueberries este ano. Os mercados potenciais identificados foram os Estados Unidos, França, Espanha, Itália e Reino Unido.

Guatemala: começa a exportar

Pela primeira vez foram exportados 13 containers ao Reino Unido. “É a primeira vez que se despacha produção a Europa, um mercado para poder exportar”, disse um exportador. Além da Europa, também foram enviados berries à América do Norte. Nos últimos cinco anos houve grandes investimentos no cultivo do blueberry e foi demostrado que é possível cultivar durante todo o ano na região de Chimaltenango.

EUA: mercado tranquilo com preços estáveis

Embora ainda tenha um pouco de blueberries do Peru no mercado, o Chile é atualmente o fornecedor principal. “Chile teve um início lento, mas agora ganhou seu momentum e permanecerá em bom caminho nas próximas semanas”, afirmou um trader. Em contraste com o ano passado, quando o Peru terminou a temporada mais cedo, a fruta permanecerá no mercado por mais tempo esse ano. Um trader diz que isso tem a ver com a boa qualidade do produto. O México, assim com o Chile, começarão a temporada com um pequeno atraso devido ao clima gelado. Embora a América do Norte permaneça sendo o mercado de maior venda para os exportadores chilenos, eles também veem um maior volume sendo exportado para a Europa esse ano. Ásia é um mercado menor. Os preços estão estáveis esse ano, e os supermercados dos EUA estão dando mais espaços nas prateleiras para as berries.

Para ler sobre outros mercado, clique aqui.

Fonte: Fresh Plaza


Categorias:

Internacional | Produção

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.