Notícias Vinho de blueberries e amora pode ajudar os diabéticos?

Uma pesquisa recente feita pela Universidade de Illinois demostrou que os efeitos da diabetes tipo 2 podem ser reduzidos potencialmente através do consumo de um “vinho” de blueberry e amora.

Colocamos entre aspas, pois, claro, a bebida não tem álcool.

Em um comunicado, a Universidade de Illinois destacou a Associação Americana de Diabetes que listou os blueberries como “super alimento para a diabetes”. Em sua pesquisa, eles descobriram que a fermentação da fruta poderia melhorar ainda mais seu potencial antidiabético.

Elvira de Mejía, uma química de alimentos do Departamento de Ciência dos Alimentos e Nutrição Humana da Universidade de Illinois, criou uma bebida com sua equipe que incluía uma proporção de 70% de amoras fermentadas e 30% de blueberries fermentados.

O álcool foi removido da bebida por evaporação rotatória e substituída por água, enquanto que alguns açúcares que ficaram depois da fermentação também foram retirados do processo.

“Otimizamos a relação entre os blueberries e as amoras. As amoras são muito singulares e creio que essa é uma das razões por que selecionamos uma alta concentração delas neste estudo”, disse. “As amoras têm um perfil muito específico de antocianinas, e isso era incrível na redução da absorção de glicose neste caso”.

O teste demostrou uma redução no desenvolvimento nos níveis de obesidade e glicose no sangue de ratos com uma dieta alta em gorduras.

“Infelizmente, o número de pessoas com diabetes está aumentando astronomicamente em todo o mundo”, disse Mejía.

Mejía disse que a produção deste vinho de berries, com os benefícios da fermentação, mas sem álcool, oferece uma ótima oportunidade para os produtores de vinho. Algumas empresas já estão produzindo vinho sem álcool para os diabéticos, mas são feitos a partir das uvas. A novidade agora é a combinação dos blueberries com as amoras, rico em antocianinas. “Espero que as empresas possam ver que há mercado. Além disso, é delicioso”, afirmou.

Apesar do vinho de berries não seja capaz de substituir os medicamento para os diabéticos, Mejía disse que poderia ajudar a reduzir a quantidade de remédios necessários, sempre com a supervisão e aprovação do médico.

“É necessário que haja mais estudos para ver como funciona as antocianinas na presença da medicação, para ver se funcionaria de forma sinérgica, por exemplo”.

“Talvez, poderia diminuir a quantidade de remédios. Todos estes medicamento para diabetes têm efeitos adversos depois de muitos anos de uso, mesmo os mais seguros”.

Estudos anteriores

O estudo se baseia nas pesquisas anteriores que demostraram que os blueberries na dieta poderiam ter um papel importante na redução da hiperglicemia em ratos obesos.

Além disso, um estudo anterior com o vinho de blueberries e amoras sem álcool mostrou bons resultados com a inibição de enzimas relacionadas com a absorção de glicose.

“Neste estudo, a medida que aumentamos a concentração destas extrações enriquecidas com antocianinas dos blueberries e amoras, vimos uma melhora na capacitação de glicose, o que significa que os animais, com o aumento da concentração, não entravam tanto em estado de hiperglicemia como os outros animais”, disse Mejía.

Fonte: Portal Frutícola


Categoria:

Saúde

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.