Notícias Visão Geral do mercado global de Blueberry

A colheita está se movendo lentamente para o norte. Nos EUA, a Califórnia está fechando a temporada para dar lugar aos estados do noroeste. Na Europa, há uma sobreposição entre o sul e o norte. Devido ao bom tempo no norte, a colheita começou cedo, enquanto no sul o clima não foi tão favorável. Na Espanha, a colheita foi inesperadamente maior, por isso grandes volumes foram disponibilizados no final da temporada. Em geral, o clima é positivo, especialmente na França, onde a fruta está ligada à seleção nacional de futebol (Les Blues), que estará jogando nas próximas semanas na Rússia. A poeira não abaixou totalmente no hemisfério sul. Embora a temporada tenha chegado ao fim, os países latino-americanos estão abrindo novos mercados, com a China sendo especialmente atraente. Além disso, parte do setor chileno está preocupado com a qualidade das bagas e o impacto que isso pode ter na competitividade do país.

EUA: Noroeste tomando mercado

Atualmente, há oferta suficiente, segundo um trader.

A Califórnia está se preparando para o final da temporada, e a colheita está mudando para outros estados no noroeste do país. “A colheita na Califórnia não foi tão grande quanto esperada este ano. Nós sofremos geadas em março e isso teve um grande impacto.” A temporada chegará gradualmente ao fim nas próximas semanas. “O tempo quente foi previsto e como calor e blueberries não se dão tão bem, a campanha provavelmente terminará rapidamente”, disse um agricultor.

Para os produtores da Geórgia e Carolina do Norte e do Sul, tem sido uma boa temporada. Um trader explica que não houve excedentes, então o mercado permaneceu em bom equilíbrio. Nos últimos 15 a 20 anos, a demanda cresceu de forma explosiva, mas os comerciantes agora esperam que esse crescimento diminua. Com o final da temporada na Califórnia, o preço também está em queda. Os melhores preços são geralmente obtidos logo após o início da campanha. À medida que o volume aumenta durante a temporada, o preço cai.

Chile: Preocupações com o futuro

A região Ñuble é considerada uma área potencial de crescimento para os blueberries a serem exportados para os EUA sem restrições. Os EUA introduziram restrições devido à detecção de Lobesia botrana nas regiões de O’Higgins, Maule e Bio Bio. Uma solução técnica foi encontrada, consistindo na fumigação das berries, mas isso não foi possível para os cultivadores orgânicos e a fronteira dos EUA permaneceu fechada para eles. O Comitê de Blueberry anunciou que as exportações chegaram a 110 mil toneladas, volume recorde. A região de Bio Bio foi responsável por 32% desse volume.

Dentro do setor chileno, preocupações foram expressas sobre a qualidade dos blueberries. De acordo com alguns traders, a qualidade declinou nas últimas três temporadas e isso teve um impacto sobre a posição do Chile no mercado mundial. Os produtores são afetados por uma série de fatores, incluindo plantações mal conservadas, variedades inadequadas, condições climáticas desafiadoras e clima mais extremo. A qualidade das berries de outros países, como Marrocos, Peru, México e África do Sul, melhorou e, segundo os comerciantes interessados, o Chile está atrasado. Eles acreditam que mudar para outras variedades será insuficiente; e mais etapas devem ser tomadas para garantir que a cadeia seja melhor organizada.

Peru vê forte aumento nas exportações para a China

Segundo a associação de exportadores, as exportações no primeiro trimestre deste ano valeram mais de 48 milhões de dólares; um aumento de 229% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os números também mostram que os EUA são o mercado mais importante, representando um volume de quase 32 milhões de dólares. Em seguida, no ranking, estão a Holanda, o Reino Unido, o Canadá, a China e treze mercados menores. Desde a abertura do mercado chinês em 2016, as exportações para este destino cresceram de forma explosiva. Entre janeiro e março, 1.226,7% mais blueberries foram enviados para a China do que no mesmo período do ano anterior.

Argentina ganha acesso à Ásia

Em setembro, o primeiro carregamento de blueberries argentinos irá para a China. O país sul-americano ganhou oficialmente acesso a esse enorme mercado em dezembro de 2017. Um total de vinte empresas foram selecionadas para exportar para lá. A associação comercial também quer organizar uma campanha promocional na China.

A Tailândia também abriu suas fronteiras para os blueberries argentinos. Com este novo mercado, a Argentina espera aumentar suas vendas para o Extremo Oriente. Segundo as autoridades, a Argentina ganhou acesso a 120 novos mercados nos últimos dois anos. Para exportação para a Tailândia, é necessário apenas um certificado fitossanitário (com os documentos que o acompanham). Espera-se que 18 mil toneladas de blueberries sejam colhidas este ano.

Uruguai se concentra na China

Em maio, as autoridades do Uruguai informaram que havia chegado a um acordo com a China para permitir o acesso dos blueberries domésticos a esse mercado. O setor uruguaio espera construir um relacionamento com empresas chinesas. “O acordo foi assinado; agora só precisamos fazer acontecer”, disse o ministro uruguaio em maio.

México introduz imposto de importação

A temporada acabou de terminar, mas a maior novidade agora é a guerra comercial com o vizinho do norte. Depois que os EUA fixaram tarifas para a importação de alumínio e aço mexicanos, o México respondeu com direitos de importação para vários produtos. Uma taxa adicional de 20% foi fixada em blueberries importados. Outros produtos para os quais importadores serão cobrados tarifas mais altas são maçãs, queijo, carne de porco, presunto, cimento e uísque.

Fonte: Fresh Plaza


Categoria:

Internacional

Exibir comentários +

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.