Blueberries

A Super Fruta…

Apesar de pequenino, o blueberry é considerado uma superfruta, e são a prova de que, quando estamos falando de benefícios para a saúde, as boas coisas estão nas menores embalagens!

Os blueberries possuem baixo teor de gordura e sódio, têm apenas 80 calorias por porção, e são ótimas fontes de fitonutrientes, componentes responsáveis por dar a cor nas plantas. No caso dos blueberries, o pigmento é a antocianina (163.3mg/100g), responsável pela cor azul da fruta.

Eles ainda são uma excelente fonte de vitamina C e manganês. A Vitamina C é importante no crescimento e desenvolvimento dos tecidos, além de auxiliar na cicatrização de feridas. Já o manganês ajuda o corpo a processar o colesterol e outros nutrientes como o carboidrato e proteína.

Eles também são ótimas fontes de fibras. As fibras ajudam a diminuir o risco de doenças do coração, além de manter o corpo saciado por mais tempo.

Uma ótima e fácil maneira de ter certeza que você está comendo uma dieta balanceada é colocar no prato um arco-íris de frutas e vegetais… e os blueberries trazem o tom certo do azul!

A História…

O blueberry faz parte da tradição alimentar e medicinal norte-americana há séculos. Os primeiros nativos americanos cultivavam os blueberries das florestas como um alimento básico – misturavam a fruta com carnes de veados e bisão para fazer pemmican, além de a secarem para uso no inverno.

Os primeiros colonos vindos da Europa rapidamente apreciaram essa pequena fruta e a incluíram nos ensopados, bebidas e em muitas outras receitas básicas de herança culinária americana, como as tortas, bolos (buckles) e cobblers (grunts). Os blueberries em lata foram um dos primeiros alimentos militares na Guerra Civil dos Estados Unidos.

O Cultivo…

Os blueberries eram encontrados nas florestas durante o verão na América do Norte.

Mas o rumo dessa pequena fruta azul foi mudada com a fazendeira Elizabeth White, de Whistebog, Nova Jersey – que já era uma produtora de sucesso com os cranberries na virada do século – e teve o sonho de desenvolver uma colheita comercial de blueberry. Ser uma fazendeira não era uma profissão comum para uma mulher da época, mas ela gerenciou uma das maiores e mais bem-sucedidas plantações numa área chamada “Whistesbog”.

Todos os dias ela caminhava da sua casa até os pântanos de cranberry nas estradas rurais e ficava encantada com os blueberries highbush nativos que cresciam em qualquer lugar. Outros produtores de todo o país já haviam tentado cultivá-lo no passado, porém sem sucesso.

Então, ela decidiu se juntar ao botânico do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), Frederick Coville, que compartilhou de seu sonho e juntos começaram a busca para cultivar o blueberry.

Eles formavam um ótimo time. Ele tinha a ciência e ela era uma agricultora mestre.

White trabalhou com caçadores da área e ofereceu uma recompensa para aqueles que trouxessem plantas e mudas de blueberries grandes e bonitos. Coville teve algumas das primeiras plantações experimentais de blueberries nas terras que hoje é o Pentágono dos EUA, na área de Washington, DC – a matriz das forças armadas dos EUA!

Cultivar blueberries não era tão fácil quanto espetar uma muda no solo. O time Coville-White testaram centenas de cultivares, em diferentes solos e métodos de crescimento, e eventualmente chegaram a muitas das práticas que são usadas até hoje na produção de blueberries.

(Você pode ainda visitar Whitesbog e ver as plantas originais de blueberry highbush “selvagem”).

Fonte: USDA Agricultural Research Service (ARS)

O blueberry hoje…

A plantação de blueberry percorreu um longo caminho nos últimos 100 anos, desde que os primeiros blueberries highbush foram ao mercado em 1916, e a visão de Coville e White foi desenvolvido em um negócio mundial nos seis continentes.

Hoje, a América do Norte (EUA, Canadá e México) produz cerca de 1 bilhão de libras (approx. 453 mil toneladas) de blueberries anualmente. Nos EUA, os blueberries highbush crescem comercialmente em mais de 30 estados.

No Canadá, os blueberries highbush são produzidos comercialmente em duas províncias, incluindo British Columbia, que é hoje conhecida como a região líder na América do Norte.

Da próxima vez que for provar blueberries highbush, lembre-se da visão e dedicação da nossa fundadora, Elizabeth White, que vislumbrou as possibilidade e fez acontecer!

Nós agradecemos o seu apoio!

Os estados em azul indicam as maiores produções de blueberry dos EUA

Os blueberries highbush dos EUA continuam a prosperar com agricultura e processamentos eficientes. A produção do blueberry fresco começa em fevereiro na Flórida e Califórnia, e termina no final de setembro-início de outubro no Noroeste do país. O pico da produção de congelados na América do Norte vai de junho a agosto. Os blueberries highbush compreendem 91% de todos os blueberries que crescem nos Estados Unidos e 80% da produção Norte americana.

Você sabia?

Todos os blueberries do mundo são da família Vaccinium.

O blueberry highbush pode ser das espécies Vacciunium corymbosum (Northern Highbush) e Vaccinium ashei (Southern Blueberry ou blueberry “rabbiteye”). Essas duas espécies, e a mais recentemente desenvolvida Southern highbush blueberry – Vaccinium virgatum Aiton – são o que chamamos de Blueberries Highbush.

Na América do Norte, há uma outra espécie na região de Maine e Leste do Canadá chamada Vaccinium angustofolium ou blueberry selvagem.

Na Europa, tem o Vaccinium myrtillus, conhecido por lá como “bilberry”.

Fonte: USDA Plants Database.